10 dicas essenciais sobre convites de casamento

1- Primeiro passo! O convite é um dos primeiros itens a ser fechado, 99% das noivas não sabem como será o casamento. A partir dele, define-se uma linha para a festa;

2- Não fuja do tradicional. Isso pode ser trágico! Lembre-se: a primeira impressão é a que fica. Pense em criar boas expectativas. Escolha um convite sintonizado a proposta do casamento. Casar na praia não combina com convite muito clássico, por exemplo;

3- Tudo definido? Após decidir local, igreja e data, é hora de entrar na papelaria, onde normalmente se cria a identidade visual do casamento. A partir desse momento surgem ideias de monograma, cor, tipo de letra…

4- Lista semipronta: isso, rascunhe uma lista com seus pais para terem noção da quantidade. Não precisa ter o endereço e nome completo nessa prévia, é só mesmo para ter uma base;

5- Lembre-se! 300 convites são no mínimo 600 convidados, já que um convite vale sempre para uma pessoa e um acompanhante;

dicas de convites de casamento

6- Priorize e desapegue-se! Um convite pede muitos detalhes. Foque no seu budget e priorize o que realmente é necessário, equilibrando as melhores escolhas;

7- Calígrafa: apesar de toda modernidade, a calígrafa não caiu em desuso. Caligrafia é arte, e isso é extremamente importante para que o convite fique magnífico;

8- Erros acontecem! Pense em eventuais imprevistos e faça sempre de 20% a 30 % de convites a mais. A calígrafa pode errar, um amigo novo pode surgir e por aí vai…

9- Lista de presente: quando se começa a distribuir o convite, a lista de presente deve estar pronta. Os convidados (principalmente os mais velhos) sempre ligam para assessoria ou para os pais dos noivos pedindo orientação;

10- Pés no chão! Não faça algo que seu bolso não vai aguentar. Lembre-se que ainda terá gastos logo após o casamento.

Entenda a importância da caligrafia para o desenvolvimento do cérebro

seu flavio
Flávio Longhi Rodrigues – Fundador da ABC Caligrafia Profissional

Em uma época em que os teclados de computador dominam a experiência escrita, a ABC Caligrafia Profissional quebra os paradigmas e mostra que os diferenciais criados por Flávio Longhi Rodrigues (fundador da ABC Caligrafia Profissional), faz com que seus trabalhos sejam cada dia mais requisitados.

Um estudo feito por Karin James, uma neurocientista cognitiva da Universidade de Bloomington, nos Estados Unidos, onde se colocado um computador na frente de uma criança, mesmo que ela ainda não seja alfabetizada, as chances de dominar o teclado e realizar diferentes atividades por meio da plataforma são grandes. Parece uma habilidade inata. Na hora de usar o papel e a caneta, nem sempre a disposição é a mesma. A pesquisadora afirma que escrever à mão é essencial para o desenvolvimento cerebral.

O papel e o teclado

Além de ativar diferentes áreas do cérebro, escrever de maneira tradicional, com lápis ou caneta, traz outros benefícios. A atividade exige maior concentração e, por isso, facilita a compreensão e aprendizado. Além disso, há o desenvolvimento de habilidades motoras sofisticadas. “Escrever envolve todo um contexto: a posição do papel, a posição da caneta ou do lápis, a posição da mão ao segurar os objetos, a postura, a questão de espaço no papel… Como treinar tudo isso, no caso de só aprender a digitar”, questiona Quézia Bombonatto, diretora da Associação Brasileira de Psicopedagogia.

caligrafia artística
Foto reprodução

Na alfabetização, as crianças começam pela letra bastão (de forma) e, mais tarde, passam para a cursiva. “A letra cursiva exige movimentos mais precisos e elaborados. Então, é mais uma forma de estímulo”, diz Quézia. Para ela, ainda que as crianças tenham cada vez mais intimidade com a digitação – e do fato de a comunicação ser possível também por esse meio –, a escrita precisa fazer parte, sim, para que elas entendam o que está por trás daquele processo. “Apesar de saberem operar uma calculadora, que oferece os resultados prontos, é preciso aprender a fazer as operações matemáticas para ter a noção quantitativa”, compara.

Flávio Longhi Rodrigues completa que muitos clientes procuram sua empresa, pois o trabalho artesanal que é feito por ele e sua equipe, que por sinal são seus filhos (Flávio Jr. e Ana Paula Rodrigues), tem uma qualidade infinitamente melhor do que uma máquina pode fazer. E termina afirmando que técnicas que eles empregam na hora de produzir um trabalho, nenhum computador jamais fará.

Para conhecer mais sobre a ABC Caligrafia Profissional e os trabalhos que eles desenvolvem, basta acessar o link: www.abccaligrafia.com.br